CHAMADO A ORAR

12647487_513306445517698_8302016196917058916_nPOR QUE ESTOU ACORDANDO VÁRIAS VEZES A NOITE ?

Mateus 26:
40. Voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Assim nem uma hora pudestes vigiar comigo? 41. Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. 42. Retirando-se mais uma vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. 43. E, voltando outra vez, achou-os dormindo, porque seus olhos estavam carregados. 44. Deixando-os novamente, foi orar terceira vez, repetindo as mesmas palavras. 45. Então voltou para os discípulos e disse-lhes: Ainda Dormis e descansais….
Quantas vezes você do nada acorda no meio da noite, e volta a dormir e acorda de novo, e isso se repete várias vezes à noite durante muitos dias. Sabe por que isso está acontecendo ? É Deus lhe chamando para orar. Da próxima vez que isso acontecer experimente levantar e orar logo na primeira vez que acordar, você vai perceber que logo após orar você voltará a dormir tranquilo pois o propósito foi cumprido.

A Natureza das Tribulações

Quem gosta de passar tribulações? Quem quer enfrentar um dezerto de provações que parecem não ter fim? Ninguém Certamente.

 

Se ficasse a nosso cargo escolher, com certeza nossa vida seria um mar de rosas sem nenhuma tempestade, mas Deus – como todo bom lider – não dá tudo que as pessoas por Ele lideradas querem, mas tudo que elas precisam. Daí surge então outra pergunta: Qual o proveito das tribulações? O que uma pessoa poderia ganhar no fato de ser perseguida, maltratada e odiada o tempo todo, todo tempo? Qual o lado bom de se enfrentar tanta dificuldade, ainda que no final saia vitorioso ?Problemas no trabalho, problemas com os filhos, problemas financeiros, de saúde, problemas, problemas e mais problemas . Desde o momento que tomamos consciência da vida que nos cerca e aprendemos a somar dois mais dois descobrimos que a vida não é tão divertida como na maior parte da nossa infância e tem aqueles que nem na infância têm paz, são violentadas, abusada, vilipendiadas e exploradas de todas as formas possíveis. De fato a vida não é fácil, e está ficando cada dia mais difícil. Houve um período em que Deus, na sua bondade idealizou um mundo cheio de paz e harmonia, o homem não morria, não precisava trabalhar, não sentia dores, não havia assaltos ,sequestros, saidinha de bancos – porque não precisava de bancos,- não haviam ladrões; imagine! Que mundo perfeito. Pois é, mais não deu certo. O homem pecou, abriu a porta para o diabo, o diabo entrou e quando agente nasceu. Surpresa! O satanás já estava aqui, matando roubando e destruindo.  Deus tentou ao longo das eras, por varias vezes retomar o poder sobre a vida dos homens, por diversas vezes os chamou de volta, tentou reatar a aliança que havia se partido, prometeu devolver tudo que o homem perdeu, a paz, a prosperidade a vida longa etc. Não deu certo. O homem se voltava para Deus, e bastava dá uma melhorada, lá estava ele de novo de braços dados com o diabo, satisfazendo seus desejos em troca de um pouco de prazer aqui e ali. Não é muito diferente dos nossos dias. As pessoas vêm à igreja quebradas, doentes, na miséria total, sem paz, querendo se matar de tanta dor, de tantos conflitos, recebem um alivio e lá vão elas dá um passéio com satanás. Deus então entendeu. Só há uma linguagem que o ser humano entende, é linguagem da dor. Não estou dizendo que ninguém aceite a verdade de Deus por amor, há sim pessoas que se entregaram ao Senhor Jesus sem estar passando por nenhuma tribulação, sim estas pessoas existem pode procurar na igreja você vai encontra-las, uma em cada mil. A maioria vem atendendo o chamado de Jesus: Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. -Mateus 11:28

Todo ministério do Senhor Jesus girou em torno dos desesperados, doentes das mais variadas moléstias, miseraveis e excluídos da sociedade. Por que? Porque são estas pessoas que têm ouvidos abertos ( pela dor ) para ouvir a mensagem do evangelho, que não trata de outra coisa se não de alivio para a dor do corpo e salvação eterna para a alma.
Guarde esta palavra ” Alívio ” voltarei a falar sobre ela mais a frente. Varias vezes Jesus deixou bem claro quem era seu público alvo. Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. -Mateus 15:. Os sãos não necessitam de médico mas sim os enfermos; eu não vim chamar justos, mas pecadores. -Marcos 2:17. Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. -Lucas 19:10
Quando comissionou seus discipulos disse: Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. -Mateus 10:8
Porque são estas pessoas que estão sucitas a ouvir o evangelho. Os enfermos, os leprosos os que estão mortos no pecado os endemoniados, e Jesus ainda fez questão de alertar os apóstolos para não cobrarem nada pois a maioria também chegariam na mais profunda miséria. Daí há quem diga que na igreja queremos tirar o que as pessoas têm, mas eu pergunto o que tirar de quem não tem nada? Muitos quando chegam na igreja nem comida têm em casa para comer que vê lá oferta para dar. Eu mesmo me lembro que quando cheguei na IURD, não tinha nada para dar, aliás, por varias semanas, senão meses não dei nada, até que a coisa começa-se paulatinamente a melhorar, ai passei a ser dízimista a fazer minhas ofertas e começei a prosperar como nunca em toda minha vida.
Jesus ao contrário do que muitos pregam, não falou para os discípulos não pedirem oferta, Ele falou para eles terem paciência porque as pessoas iriam chegar na total penúria. Eles não poderiam portanto cobrar para curar ou libertar alguém que chega-se desesperado, como nenhum discipulo verdadeiro de Jesus jamais o fará.
Quando uma pessoa entrar num pronto socorro qual a primeira pergunta que fazem para ela? Tem plano de saúde?
Quando a pessoa chega a igreja universal a pergunta é a seguinte: Tem fé?.
Tudo bem então. Até aqui entendemos que as tribulações que enfrentamos antes de conhecer Jesus serviu justamente para levar- nos a conhece-ló. E depois que O conhecemos e se formamos na fé Nele, por que as tribulações não cesaram? Por que ainda passarmos tantas lutas se já nos rendemos a Cristo?
É neste ponto que quero retomar a palavra alívio.
Jesus nunca prometeu uma vida de flores aos seus seguidores, pelo contrário, Ele mesmo varias vezes advertiu sobre as lutas que seus seguidores teriam que enfrentar e os desertos que teriam de atravessar. Para continuar quero tomar como base a conversão de Paulo, antes chamado Saulo de Tarso, no dia que ele caiu do cavalo ficando cego os seus ouvidos se abriram para ouvir a voz de Jesus, essa parte ja entendemos, agora preste atenção no que Jesus diz a respeito do seu futuro como cristão: Pois eu lhe mostrarei quanto lhe cumpre padecer pelo meu nome. -Atos 9:16
O homem mal se libertará e Deus já estava afirmando que ele iria padecer pelo Seu nome. Deu para entender? Antes você padecia porque não conhecia o Nome, agora você padece pelo nome. Qual a diferença? Astronômica.
Prepare-se porque apartir de agora nós vamos mergulhar num universo de conhecimentos espirituais que mudará para sempre a maneira como você encara seus problemas exteriores e seus conflitos interiores.
Vamos começar observando a colocação que Paulo fez sobre a tribulação nos dois aspectos: Cristão e mundano.
Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, o qual não traz pesar; mas a tristeza do mundo opera a morte. -2 Coríntios 7:10
Observe a reação da maioria das pessoas neste mundo quando estão sobe pressão de um grande problema, salvo raras excessões, a maioria desânima, desiste e não são poucos os que pensam até em tentar contra a própria vida, caem em depressão, se isolam da família do mundo, buscam refugio nas drogras, bebida, cocaina e etc. Aqueles que nestas condições não abrem os ouvidos para ouvir o chamado de Jesus, terminam por destruir suas vidas de forma precose.
Agora observe um cristão que nasceu de Deus, que teve um encontro pessoal com Cristo passando as mesma tribulações. As mesma tribulações? Sim, as mesma porque assim como a chuva vem tanto para os impios como para os santos, também os problemas.
Quando uma pessoa se entrega ao Senhor Jesus, não deixa de ser humano, mortal e suscetível aos mesmo problemas que qualquer vivente neste mundo. Não estou dizendo que o cristão deva aceitar a miséria a doença e os problemas como sendo a vontade de Deus ou provação do Senhor, pelo contrário para resolver os problemas do cotidiano o Senhor Jesus colocou em nossas mãos a espada da fé. É ai que mora a diferença.
O verdadeiro cristão quando está passando por lutas e problemas diversos, seja de saúde, finaceiro, familiar ou outro qualquer, aproveita está situação para usar sua fé e estreitar seu relaciomanto com Deus. A reação dele é orar mais, é jejuar, é se humilhar diante de Deus, é rever sua vida espiritual ou seja, ao invés de afastar as trubulações somente o aproxima mais de seu Senhor. A diferença por tanto passa a residir na reação que a pessao tem diante das lutas da vida. Pedro alertava os novos convertidos a este respeito:
Amados, não estranheis a ardente provação que vem sobre vós para vos experimentar, como se coisa estranha vos acontecesse; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus neste nome. -1 Pedro 4:16
Glorifique a Deus com a sua reação de fé, de confiança. As lutas estão ai para serem vencidas, os limites para serem ultrapassados os records para serem quebrados e os problemas para serem resolvidos. Cada vitória nova é um novo testemunho. E como disse Paulo lá em 2 Coríntios 7:10, como efeito das lutas o cristão não se torna uma pessoa pesarosa, amargurada, endurecida, rancorosa, pelo contrário o resultado das tribulações na vida do verdadeiro servo de Deus é glorioso, Paulo falou sobre o fruto das tribulações na vida do cristão.
E não somente isso, mas também gloriemo-nos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. -Romanos 5:3-5
Que coisa gloriosa! O Espírito Santo é o grande responsável por esta mudança de pespectiva que o cristão tem com respeito as tribulações que enfrenta. Para o nascido de Deus, tribulação é sinônimo de perseverança, experiência, esperança, e o verdadeiro seguidor de Jesus de tudo tira proveito para ajudar os outros a ter um encontro com Cristo como ele mesmo teve.
Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. -2 Coríntios 1:3-4
Não há nada mais refrigerador para alguém que está enfrentando uma tribulação, do que encontrar outras pessoas que passaram pelo mesmo e prevaleceram, pois somente estas pessoas que já padeceram podem trazer uma palavra que de fato dê forças ao cansado para continuar.
Se houvese uma faculdade de tribulações eu diria que o apóstolo Paulo fez doutorado. A sua segunda carta aos coríntios trás a biografia de alguém que entendeu perfeitamente o que Jesus queria dizer a respeito de tudo quanto ele – Paulo – iria enfrentar. Pois eu lhe mostrarei quanto lhe cumpre padecer pelo meu nome. -Atos 9:16
Se você conhece alguém que está enfrentando tantas tribulações aponto de desesperar da própria vida, oriente está pessoa a começar a ler II Coríntios imediatamente.
Vamos ler alguns relatos deste homem, que foi um heroi da resistência.
Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira oprimidos acima das nossas forças, de modo tal que até da vida desesperamos; portanto já em nós mesmos tínhamos a sentença de morte, para que não confiássemos em nós, mas em Deus, que ressuscita os mortos; o qual nos livrou de tão horrível morte, e livrará; em quem esperamos que também ainda nos livrará, -2 Coríntios 1:10
Você já deve ter ouvido a expressão nascí de novo. Quem usa esta expressão são pessoas que estiveram muito perto da morte e escaparam por muito pouco. Paulo quer dizer mais ou menos a mesma coisa em outras palavras ele disse: Voltei dos mortos!
Uma pessoa comum que tem uma experiência traumatica de quase morte, fica com seqüelas irreparáveis muitas vezes para o resto da vida. O nascido de Deus porém, não deve ser conciderado uma pessoa comum, pois uma pessoa comum no lugar de Paulo já teria desistido da sua missão, aliás censo de missão não é natural à uma pessoa comum. Era este censo de missão que estimulava o apóstolo Paulo a seguir em frente e depois de passar por tamanha provação da sua fé, é surpreendente a força que este homem exalava àqueles a sua volta.
Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; trazendo sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossos corpos; -2 Coríntios 4:8-10
No ano de 1989, mas precisamente em maio deste ano, tive meu primeiro encontro com O Senhor Jesus, desde 1998 prego o evangelho do meu Senhor, como pastor da Igreja Universal. No decorrer de todos estes anos pude constatar que não são poucas as pessoas que se afastam do Senhor Jesus e da Igreja em virtude das muitas tribulações que enfrentam, muitas até por motivos futéis. O termino de um namoro, uma palavra mais dura que ouviu de alguém, a perda de um emprego, problemas de saúde, tudo tem sido motivo de desânimo e pretexto para abandonar a fé. Tenho visitado constantimente os afastados e fico impressionado com as repostas que encontro quando pergunto por que a pessoa não foi mais à Igreja. Há quem diga que arrumou um emprego e não tem sobrado tempo, por outro lado têm aqueles que se queixam do pastor, do obreiro de outro membro da igreja que lhes ofendeu, há quem coloque a culpa no conjugue, na família e alguns poucos que reconhecem que esfriaram na fé e sem perceberem foram se afastando aos poucos até cairem de vez. Ex obreiros, ex pastores, ex membros, o número de desertores não para de crescer e olha que nós vivemos numa democracia onde podemos servir e adorar Nosso Senhor sem sermos presos ou espancados como acontecia no tempo de Paulo e como de fato ainda ocorre em algumas partes do mundo como na India,China e em paises mulçumanos, onde até hoje cristãos ainda são torturados até a morte.
Observo pasmo como os valores se enverteram. Na igreja primitiva as pessoas abriam mão de todos os seus bens, ( casa, terras, animais) tudo era confiscado apartir do momento em que assumisse publicamente a fé em Cristo. Por está razão temos o episódio em atos dos apóstolos onde as pessoas vendiam suas propriedades e depositavam os valores aos pés dos discipulos, era fazer isso ou perder tudo.
Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos. -Atos 4:34
É triste vermos pessoas que abandonaram a fé porque não conseguiram comprar uma casa ou um carro, não conseguiram se casar, se curar e etc. Antes as pessoas deixam tudo para ficar com Cristo. Hoje tudo é motivo para deixa-lo.
Temos muita gente culta na igreja, pessoas que estudaram as escrituras, fizeram uma faculdade de teologia de filosofia e etc, mas que nunca cursaram a faculdade de Deus. Onde fica a faculdade de Deus? No deserto. É lá que Deus tem preparado seus valentes para as batalhas da vida, e se você pretende ser usado por Ele, esteja preparado para cursar por alguns anos Sua faculdade. São pessoas assim, que suportaram na pele o sofrimento pelo evangelho, que podem ensinar a muitos outros não apenas com conhecimentos teológicos e teóricos, mas que podem recomendar-se a sí mesmos como exemplo de fé, perseverança e fidelidade.
Antes em tudo recomendando-nos como ministros de Deus; em muita perseverança, em aflições, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, -2 Coríntios 6.4-6…
Como estamos carentes deste tipo de cristão.

NA PENEIRA DE DEUS, Você passa ?

 

“Porque para o Senhor nenhum impedimento há de livrar com muitos ou com poucos”

                       (1 Sm 14:6).

 

 

A primeira peneirada (Juízes 7:1-3). Deus testou a fé de Gideão ao peneirar os 32 mil voluntários até que restaram apenas dez mil homens. Se a fé de Gideão tivesse sido tamanho de seu exército, então não teria sobrado muita coisa depois das peneiradas de Deus! Menos de 1% do contingente inicial acabou seguindo Gideão até o campo de batalha.

Deus explicou a Gideão o motivo de estar diminuindo seu exército: não queria que  os soldados se vangloriassem de que teriam vencido os midianitas. As vitórias alcançadas pela fé glorificam a Deus, pois ninguém é capaz de explicar como ocorreram. “Se você é capaz de explicar tudo o que está acontecendo em sua vida, então é porque não é Deus quem está fazendo. Viver pela fé, é viver na dependência de um milagre por dia.

Com freqüência, somos como o rei Uzias, que “foi maravilhosamente ajudado, até que se tornou forte. Mas, havendo-se já se fortificado, exaltou-se o seu coração para a sua própria ruína” (2 Cr 26:15,16). As pessoas que vivem pela fé conhecem suas fraquezas e, cada vez mais, dependem de Deus para lhes dar forças. “Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte” (2 Co 12:10).

Ao ordenar que os soldados temerosos voltassem para casa, Gideão estava apenas fortalecendo à lei que Moisés havia dado: “Qual o homem medroso e de coração tímido? Vá, torne-se para casa, para que o coração de seus irmãos se não derreta como o seu coração” (Dt 20:8). Deus não pode usar homens trêmulos e temerosos. O problema hoje em dia é que os homens trêmulos e temerosos insistem em permanecer no exército.

O orgulho depois da batalha toma do Senhor a glória que lhe é devida, e o medo durante a batalha toma dos soldados do Senhor a coragem e o poder. O medo costuma se espalhar, e um único soldado temeroso é capaz de causar mais estrago do que um regimento inteiro de soldados inimigos. O medo e a fé não podem conviver por muito tempo no mesmo coração. Ou o medo vence a fé e desistimos, ou a fé conquista o medo e triunfamos. junte um exército de cem homens que não temem coisa alguma a não ser o pecado e que não amam coisa alguma a não ser Deus e faremos estremecer as portas do inferno!

A segunda peneirada (Juízes 7: 4-8). Deus fez os dez mil homens que haviam restado do exército de Gideão passarem por mais um teste ao pedir-lhes que bebessem água de um rio. Nunca sabemos quando Deus está nos testando com alguma experiência comum da vida. Ouvi falar de um pastor que sempre andava de carro com os auxiliares no carro deles, só para ver se o carro estava limpo e se o auxiliar dirigia com cuidado. É discutível se a limpeza de um carro e o cuidado ao dirigir garantem que alguém seja bem sucedido em seu ministério, mas se trata de uma lição que vale a pena considerar. Mais de um candidato a emprego já acabou com suas chances de ser contratado durante um almoço com o possível chefe por não perceber que estava sendo avaliado. Faça de toda ocasião uma grande ocasião, pois você nunca sabe quando alguém o está avaliando para algo mais elevado.

Qual era a relevância das duas formas de os homens beberem a água do rio?  A maioria das pessoas dizem que os homens que se abaixaram para beber colocaram-se numa posição vulnerável ao inimigo, enquanto os trezentos que beberam água da mão permaneceram atentos. Porém, o inimigo encontrava-se a mais de seis quilômetros de distância, esperando para ver o que os israelitas fariam, e Gideão não teria colocado seus homens em perigo dessa forma.  A meu ver, Deus escolheu esse método para peneirar o exército, pois era simples, despretensioso (nenhum soldado sabia que estava sendo testado) e fácil de ser aplicado. Não devemos pensar que os dez mil homens beberam ao mesmo tempo, pois isso teria feito o exército espalhar-se ao longo de alguns quilômetros à beira da água. Uma vez que os homens certamente foram beber em grupos, Gideão pôde observá-los e identificar os trezentos. Só depois dessa identificação é que os homens descobriram que haviam sido testados.

Moisés assegurou aos israelitas de que, se obedecessem ao Senhor, um soldado perseguiria mil e “dois [fariam] fugir dez mil” (Dt 3 2 :3 0 ). Assim, Gideão só precisava de 27 soldados para derrotar todo o exército midianita com seus 135 mil homens (Jz 8 :1 0 ), mas Deus lhe deu trezentos. “Com estes trezentos homens que lamberam a água eu vos livrarei” (v. 7). Gideão, ao apropriar-se dessa promessa e seguir as instruções do Senhor, derrotou o exército inimigo e trouxe à terra uma paz que durou quarenta anos (Juízes 8:28).

FAÇA O IMPORTANTE, NÃO O URGENTE.


Em 1972, na Flórida, um avião teve uma pane ao decolar. Segundo algumas reportagens, a caixa preta revelou que o piloto e o co-piloto estavam tentando consertar uma luz em mal funcionamento quando, literalmente, voaram com o avião para o chão.
Eles estavam fazendo algo que poderia ser urgente, mas não importante naquele momento. Existe um velho ditado entre os pilotos: O principal é fazer o avião voar
Devote o seu tempo para as coisas importantes. Delegue o restante

O VENCEDOR X O PERDEDOR


Por que existem vencedores e perdedores? Será que Deus tem escolhido alguns para vencerem e a maioria para perder? Sendo Ele o Justo Juis, não é possível haver qualquer sombra de injustiça ou preconceito da Sua parte para com ninguém.
O fato é que tanto o vencedor quanto o perdedor têm uma característica em comum, que justifica a condição de cada um: a fé.
Enquanto o vencedor tem fé de que vai vencer, o perdedor tem fé de que vai perder. Aí está a diferença entre ambos! O primeiro aprendeu a confiar em Deus e em si mesmo, enfim, a depender da fé bíblica, deixanda pelos patriarcas e profetas. O segundo aprendeu apenas a praticar uma liturgia religiosa.
A dúvida conduz a pessoa a um estado depressivo, e até a perda da auto-estima e da crença em si mesma. E se ela não acredita em si, como poderá querer que alguém acredite nela.
Por outro lado, como alguém é capaz de se deixar levar pela dúvida? O que está por detráz desse sentimento tão nefasto, a ponto de até levar a pessoa a se confessar impotente, achando que não pode isso e não pode aquilo?
Na realidade, a dúvida é um espírito cuja voz é altamente instigadora. A voz da dúvida, no subconsciente, tem desviado as decisões corretas para as incorretas.
A psicologia ensina que as tendências, os hábitos, os conhecimentos e as lembranças pertencem ao domínio do subconciente. Se isto é correto, então uma força do mal, que opere no subconciente, terá o domínio das tendências, dos hábitos, dos conhecimentos para o mal e das lembranças amargas, que influenciam as decisões para o futuro.
Assim sendo, a pessoa possuída pelo espírito da dúvida jamais poderá vencer, ainda que tenha capacidade intelectual, pois esta não pode vencer as dúvidas.
Quando as pessoas vitimadas pela dúvida tomam conhecimento da palavra de Deus, imediatamente concebem a fé sobrenatural. Isso acontece porque as palavras divinas são espírito e vida:
“O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” João 6.63
A partir de então, elas têm o poder da fé, que prevalece sobre toda a força das dúvidas. Uma vez materializado esse poder, tais pessoas deixam de ser escravas dos pensamentos negativos.
Somente a fé tem o poder de dessipar dúvidas, estabelecer permanente comunhão com Deus e trazer à existência aquilo que ainda não existe em nossa vida. Por meio dela somos capazes de conquistar o que quizermos, conforme o Senhor Jesus ensinou:
“porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele.” Marcos 11.23
A vitória e a derrota estão dentro de cada um de nós. Quem determina uma ou outra são os nossos pensamentos. Se forem de fé, então seremos vitoriosos; se forem de dúvidas, então estaremos fracassados
Se entrarmos numa luta achando que somos mais fracos, certamente seremos derrotados. E é justamente este o trabalho do mal: ele sopra pensamentos de dúvida, medo, fraqueza e conformismo, para que desacreditemos da nossa capacidade de vencer.
Quando, entretanto, temos a certeza de que o Espírito de Deus é conosco, não há pensamentos conformistas ou de fraqueza, porque tudo podemos n´Aquele que nos fortalece ( Filipenses 4.13 )
Quando a pessoa se abastece dos pensamentos de Deus, bebe do seu Espírito e se torna invencível e inabalável, pois os Seus pensamentos têm o Seu aval para nos impelirem à conquista de tudo aquilo que determinarmos. Também fazem com que os pensamentos do mal sejam neutralizados.
Mas por que tantas pessoas, para não dizer a maioria dos cristãos, que crêem em Deus e na sua palavra, não têm sido vencedoras? Elas pensam que pelo fato de conhecerem a Bíblia, e de serem fiéis à igreja, a sua vitória virá automaticamente, como um prêmio da parte de Deus. Temos visto que isso não funciona assim. A pessoa não pode esperar que Deus venha fazer aquilo que só ela pode e deve fazer por si mesma. Um grande erro de muitos cristãos é esperar que Deus tome as iniciativas das suas próprias conquistas.
Ora, isso é um absurdo, pois não há um milagre na Bíblia que tenha ocorrido sem a participação inicial do ser humano. Quando Moisés liderava o povo de Israel, deparou-se com o Mar Vermelho, e no seu encalço vinham os exércitos de Faraó.
Ele, então começou a clamar a Deus, e o Senhor lhe respondeu: “…Por que clamas a mim? Dizi aos filhos de Israel que marchem.” Êxodo 14.15. Então chegamos a conclusão, que o vencedor é vencedor porque marcha para frente e não conta com ninguém, a não ser consigo mesmo e, acima de tudo, com Deus.